Burle Marx

Se estivesse vivo, Roberto Burle Marx faria 102 anos nessa semana.

Roberto Burle Marx

Um dos maiores paisagistas do século XX, ele revolucionou a arte de projetar jardins no período modernista, reconhecido mundialmente por sua arte de formas orgânicas e geométricas.

Jardim suspenso do Banco Safra, SP

Natural de São Paulo, nasceu no dia 4 de agosto de 1902. Quarto filho de uma família de seis irmãos. O pai era alemão e a mãe, pianista pernambucana, costumava promover eventos para músicos da cidade, fazendo com que Burle Marx tivesse contato com a música desde pequeno. Em 1913 mudou-se para o Rio de Janeiro com a família, onde eram vizinhos do arquiteto Lucio Costa.

Com 19 anos Burle Marx viajou com a família para a Alemanha para fazer tratamento de vista. Em contato com exposições de artistas como Picasso, Matisse e Van Gogh, começou a ter aulas de pintura e canto. Mas foi frequentando o Jardim Botânico de Berlim, com grande presença de espécies nativas do Brasil, que despertou sua maior vocação.

Um ano depois retornou ao Brasil e começou a estudar arquitetura na Escola de Belas Artes, passando depois para pintura.

Seu primeiro projeto paisagístico foi para casa projetada por Lucio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Com a repercussão dos primeiros projetos, foi convidado a assumir o cargo de diretor de Parques e Jardins de Recife, onde teve a oportunidade de fazer seus primeiros jardins públicos. A partir daí o aumento no número de projetos e reconhecimento profissional foi evidente.

Além de paisagista, Burle Marx foi um grande desenhista, pintor, tapeceiro, ceramista, escultor, pesquisador, cantor e criador de jóias, se destacando em todas as áreas.

Tapeçaria feita por Burle Marx

Tive a oportunidade de visitar seu sítio na Barra de Guaratiba, próxima à cidade do Rio de Janeiro em abril de 2009 em viagem junto com outros alunos do curso de paisagismo. O Sítio Santo Antônio da Bica, que ele adquiriu em 1949, foi a concretização de um sonho: possuir espaço suficiente e adequado para abrigar sua vasta coleção de plantas. Com aproximadamente 600.000m² de área, possui mais de 3.500 espécies. Em 1985 o Sítio foi doado ao governo federal, passando a se chamar Sítio Burle Marx, procurando garantir a manutenção e integridade física da propriedade. Hoje é considerado patrimônio cultural pelo IPHAN.

É um passeio encantador, onde pode ser visitada a casa onde ele morava, construções históricas, seu ateliê e sua imensa coleção de plantas, todas dispostas de forma super harmoniosa.

Em expedições pelo Brasil em parceria com botânicos e naturalistas, Burle Marx descobriu novas espécies de plantas que hoje levam seu nome, como a Heliconia burle-marxii.

Heliconia burle-marxii

Sempre preocupado com a questão ecológica e preservacionista, proferiu palestras e conferências sobre o tema.

Quem mora em Brasília tem o grande privilegio de encontrar suas obras pela cidade, como os jardins do Palácio do Itamaraty, Tribunal de Contas da União, quadra residencial da 308 sul, Praça dos Cristais no Setor Militar Urbano, entre outros. Infelizmente vários desses jardins não estão conservados e perderam muito das suas características originais.

Quadra 308 sul

Jardim terraço do Palácio do Itamaraty

Praça dos Cristais no Setor Militar Urbano

São inúmeras as obras famosas do paisagista como a residência Edmundo Cavanellas, Banco Safra em São Paulo,  Aterro do Flamengo, os jardins do Museu de Arte Moderna, calçadas da Avenida Atlântica em Copacabana e o antigo Ministério da Educação e Saúde (atual Edifício Gustavo Capanema) no Rio de Janeiro.

Residência Edmundo Cavanellas, RJ

Jardim do MAM, RJ

Terraço do Edifício Gustavo Capanema, RJ

Muitos de seus projetos de paisagismo parecem pinturas pela sua composição, mas com um cuidado minucioso de disposição das plantas de acordo com suas características.

Projeto jardim suspendo do Banco Safra, SP

Poderia escrever muito mais sobre Burle Marx e não seria o suficiente para expor sua vasta obra. Aqui apresentei um resumo de sua vida e arte como uma singela homenagem dessa grande fã!

Informações sobre o Sítio Burle Marx: http://sitioburlemarx.blogspot.com

Sítio no Google Earth

Fontes:

LEENHARDT, Jacques (org.). “Nos Jardins de Burle Marx”. Ed. Perspectiva. São Paulo, 2006.

SIQUEIRA, Vera Beatriz. “Burle Marx”. Espaços da Arte Brasileira. Ed. Cosacnaify. São Paulo, 2004.

Imagens:

Acervo pessoal

http://lorebhdesign.blogspot.com/2011/02/artista-da-semana-roberto-burle-marx.html

http://alphalandscapes.wordpress.com/2010/01/19/%CE%B1%CF%81%CF%87%CE%B9%CF%84%CE%B5%CE%BA%CF%84%CE%BF%CE%BD%CE%B5%CF%83-%CF%84%CE%BF%CF%80%CE%B9%CE%BF%CF%85/

http://navarandacomlanynha.blogspot.com/2009_01_01_archive.html

http://www.vivercidades.org.br/publique_222/web/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1510&sid=18&tpl=printerview

http://www.claudiacasella.blog.br/?p=7652

http://blogln.ning.com/profiles/blogs/100-anos-de-roberto-burle-marx

Anúncios