Projeto acadêmico de paisagismo I

O primeiro projeto paisagístico que elaborei no curso técnico na Escola de Paisagismo de Brasília contemplou um jardim dentro da Unidade Demonstrativa de Floricultura e Paisagismo da escola, que funciona em parceria com a EMATER/DF e SEAPA/DF na Granja do Torto, em Brasília.

O jardim localiza-se entre uma edificação para as salas de aula, banheiros e salão para eventos e um quiosque.

área jardim

Imagem do Google Earth com localização da área do jardim na Unidade Demonstrativa de Floricultura e Paisagismo na Granja do Torto

O espaço, atualmente com poucas plantas, é de grande importância uma vez que foi plantado um pequizeiro no local pela criadora da escola, que faleceu há alguns anos.

área jardim

Área do jardim na Unidade Demonstrativa na Granja do Torto

área jardim

Área do jardim na Unidade Demonstrativa na Granja do Torto

Dessa forma, levando em conta a função e a importância dessa área, para o projeto paisagístico parti do conceito de “Jardim Memorial e Vitrine”, tendo como objetivo principal ser o jardim de entrada do núcleo da escola na Granja do Torto, contendo informações diversas sobre Lucila (a criadora da escola), sobre paisagismo e sobre plantas do Cerrado, servindo como “sala de aula” a céu aberto.

O jardim tem também a função de recepção, podendo abrigar eventos da EPB, como coquetéis e apresentações.

Como Lucila era apaixonada por vegetação do Cerrado, o jardim apresenta espécies apenas desse rico bioma, contendo informações sobre cada planta utilizada.

Dessa forma, pretendeu-se ser a vitrine da escola, servindo como propaganda do que é oferecido nela.

O projeto paisagístico é de traçado formalista e desenhado a partir da criação de um eixo a partir da entrada do jardim. Foram marcadas as áreas com vegetação e espelho d’água, e a partir do traçado de perpendiculares foram criados canteiros triangulares.

O uso de diferentes materiais como madeira, pedra, água, além da vegetação, criou texturas e cores diversas.

Programa:

Área pavimentada para eventos;

Área com pergolado, mesas e bancos para recepção;

Área com vegetação nativa do Cerrado;

Espelho d’água.

planta baixa jardim

Planta baixa do jardim para a Unidade Demonstrativa na Granja do Torto

Memorial botânico:

Árvores

01 – Caryocar brasiliense – Pequi

02 – Tabebuia crysotricha – Ipê-amarelo

03 – Eugenia dysenterica – Cagaita

Palmeiras

04 – Syagrus romanzoffiana – Jerivá

05 – Syagrus oleracea – Guariroba

Arbustos

06 – Microlicia aff. Selaginea – Quaresminha

07 – Bulbostylis paradoxa – Barba-de-bode

08 – Vellozia brasiliense – Canela-de-ema

09 – Paepalanthus speciosus – Sombreiro

10 – Calliandra dysantha – Flor-do-cerrado

Trepadeira

11 – Mandevilla hirsuta

Forrações

12 – Paspalum notatum – Grama batatais

13 – Pavonia rosa-campestris – Rosa-do-campo

14 – Ipomoea coccínea – Cipó-coração

15 – Anemopaegma arvense – Vergateza

Legenda:

A – Piso em pedra portuguesa branca

B – Pedrisco

C – Dormentes e grama batatais

D – Deck de madeira

E – Espelho d’água

F – Pergolado

G – Mesa e bancos

H – Banco de madeira

I – Placa em homenagem à Lucila

Anúncios